sábado, outubro 18, 2008

ainda o SINTO MUITO.... de Nuno LoBo Antunes


"EM SINTO MUITO, livro de Nuno Lobo Antunes, tropecei num texto em que o médico dá a mão a uma paciente que sofre de um cancro da mama em fase terminal. Se o gene de escritor existe, então também corre nas veias do neuropediatra quando lemos Thank you Doctor, uma viagem ao interior do coração de um médico que sofre a dor com os seus pacientes. «Nessa mão vi o resumo de mulher. Olhos de azul esbatido, vida com princípio, meio e fim. Fim que antevia, e que com ela partilhava, e no silêncio do olhar, confessei que a achava linda, que não importava idade, ou um fragmento a menos da sua carne. Quis que entendesse a beleza de que era feita, e que se porventura houvesse mais vida, decerto lhe pertencia, porque era de justiça que fosse dona do mundo, e não morresse nunca, e não lhe faltassem bocados, e não fosse ruína ou capela imperfeita».

NÃO é fácil combinar objectividade clínica com sensibilidade artística. Este e outros textos do livro, que remetem tantas vezes para a morte e que revelam uma sensibilidade extraordinária, fazem-nos pensar no valor incalculável da vida, na sorte em que temos de estar aqui e agora, eu a escrever, os meus leitores de jornal na mão, num fim de semana banhado de sol e de luz"

MRP - aqui