terça-feira, agosto 15, 2006

Intuição...



Numa noite recente, partilhei com a Zeca, este texto que *"li e gostei"... hoje ao relê-lo, pensei que seria bom partilhá-lo também com vocês...

Empurrando-nos para lá dos nossos próprios limites e do que nos rodeia, a intuição expande-nos a consciência. Revela-nos que somos habitados pró algo maior do que nós. E que, à nossa frente, existe uma infinidade de caminho possíveis. Apelos inesperados. Soluções aparentemente milagrosas.
Intuir é captar algo que está para lá dos limites dos nossos cinco sentidos. Ver para lá do que os nossos olhos vêm, ouvir para lá do que os ouvidos ouvem. Ultrapassar as nossas preocupações.
Vislumbrar o ilimitado.
E, assim, poder escutar a voz do silêncio.
É olhar para as várias circunstancias da vida ou para aqueles com que nos relacionamos ou cruzamos pelos caminhos da vida, sem ficar retido em quaisquer preconceitos ou juízos de valor.
Descobrir-lhes a alma.
É acolher os sinais – por pequenos ou mesmo, à primeira vista insignificantes – que nos vão sendo dados, sem sobre eles nos interrogarmos e, sobretudo, sem os criticar, mas antes com disponibilidade de coração.
E, assim, acolher o mistério que nos faz ser o que somos e acontecer-nos o que nos acontece ou aos outros à nossa volta.
Enquanto que a razão está ligada ao consciente, aquilo que podemos controlar – e que, por isso, nos pode dar uma sensação de força, de poder – a, intuição está ligada ao nosso lado inconsciente.
E as informações que, por essa via nos chegam, não nos podem naturalmente dar a mesma sensação de segurança do que as que racionalmente podem ser comprovadas.
Daí que a sociedade tenda a desvalorizá-las, não lhes dando o mesmo crédito ou até a desacreditá-las.
Que certeza posso eu ter de que isto, que “apenas intuo”, é verdade? Como posso ter a certeza de que não me estou a iludir?
Face a esta “falta de certezas” e necessidade de se sentir “seguro”, frequentemente defendemo-nos – inconsciente mas, muitas vezes também conscientemente – da intuição que temos.
*"li e gostei" - Titulo Roubado de um Post da Zeca

8 comentários:

zeca disse...

Olá Miudaaa!
Ora aqui está uma boa escolha!
Como já te tinha dito, adorei este texto e com toda a certeza que o vou reler diversas vezes.
Mas só uma coisita, de onde retiraste este excerto? Foi de algum livro?
Ok, já sei que sou curiosa. Mas então, eu também sou uma miúda e as miúdas têm destas coisas!! ehehehehe, manias de zeca.

Um abracinho muito forte para ti e Ah, não te esqueças!... quando fores visitar a LUA dá-lhe um BEEIIIJOOOO ENOOOORMEEEE meu!

amazing disse...

Ainda dizem que a intuição é só feminina...

Rute disse...

Intuição... nem sempre lhe damos a devida atenção.

Beijinhos

As cores da vida disse...

Mas, por vezes, a intuição também nos engana...

Beijo, Miúda! :-)

Louco de Lisboa disse...

Intuição!!
Li e intuí que tenho pouca intuição, que fazer... sou pouco intuitivo, pelo menos é a intuição que tenho!

Kiss per tê, até outra intuição...

Cruzeiro disse...

Eu deixei de "ouvir" a minha intuição...costumava intuir coisas desagraveis...
Beijo grande

Pedro =] disse...

Exactamente!! Fizeste bem em partilhar!


****

Pedro =] disse...
Este comentário foi removido por um gestor do blogue.